terça-feira, 22 de maio de 2012

cinquenta anos

Ao fazer cinquenta anos a maioria das mulheres que conheço comemora a sua idade em vez de a negar, como faziam as suas mães. Sentimo-nos e parecemos ainda jovens. Por isso erguemos felizes a taça de champanhe...
Existem mais de vinte milhões de mulheres a atingir os cinquenta anos, fazendo aumentar para mais do dobro o numero de mulheres que já se encontram no terceiro período de vida - a velhice
Dentro em pouco haverá mais de quarenta e cinco milhões de mulheres com mais de cinquenta anos, cuja vida e atitudes foram moldadas pelos movimentos feministas
Nunca antes, na história escrita, houve um tal número de mulheres com tamanha competência, experiência e independência e tantos recursos.
Aos cinquenta anos a mulher pode esperar vir a ter algumas décadas de vida com qualidade. Para elas os setenta anos são o que eram os cinquenta.
Precisamos contudo de tomar conta da nossa forma física, da nossa alimentação e especialmente, devemos procurar fazer a nossa autorregulação ao nível físico, afetivo, psíquico e espiritual.
Ao fazer cinquenta anos a mulher junta-se a uma vaga crescente de mulheres de idade, algumas com sessenta e outras com setenta e mais que aprenderam a confiar em si próprias. Essas mulheres estão a tornar-se também cada vez mais visíveis, influentes e numerosas.
Parafraseando Marion Woodman " que significa ser-se velha na nossa cultura? Quais as minhas novas responsabilidades? De que tenho de abdicar para arranjar espaço para as transformações de energia que estão prontas a inundar o meu corpo e a minha alma?"
Sejam queridas amigas, mulheres cada vez mais viçosas, com vontade de amar de forma inteira, de aprender novos assuntos, de reaprender a olhar para as coisas, nem que seja pela mão dos mais jovens, os netos recém-chegados.
Tenham a capacidade de ser felizes, por dentro e por fora. O caminho que temos vindo a percorrer faz cada vez mais sentido se percebermos que a nossa missão é, essencialmente, viver plenamente!

Um comentário:

Toninhobira disse...

Uma belissima reflexão com plena consciencia da importancia na arte envelhecer-se.Pensar assim é estar muito acima do acumulo de anos de vida.Quem chega aos 50 anos com reflexões puras e nuas da vida,não sente os numeros e faz de cada dia uma preparação para o outro e são felizes consigo mesma.Viver assim é lindo, é arte.Parabens Cris, que cada dia seja de renovação e superação.Gostei do texto.
Meu abraço.