segunda-feira, 16 de março de 2009

Fênix


Que tipo de associações a palavra “fênix” traz à sua cabeça?
Com certeza vem a ave mítica repleta de penas vermelhas e douradas que emite raios de luz através de seu corpo, da mitologia grega, que tinha a incrível capacidade de se reproduzir sem a necessidade de um parceiro e poderia viver por exatos quinhentos anos.
Mas, verdadeira fênix, entretanto, não tem asas, mas tentáculos, e já invadiu os mares do mundo inteiro. Seu nome é Turritopsis nutricula, e ela é uma água-viva.
Turritopsis nutricula é um hidrozoário com um ciclo de vida na qual reverte-se ao estágio de pólipo após chegar-se a maturidade sexual. É o único caso conhecido de um animal metazoário capaz de reverter completamente a um estágio de imaturidade sexual, o estágio de colônia após ter alcançado a maturidade sexual é um estágio solitário. Ele realiza isto através de um processo celular de transdiferenciação. Teoricamente, este ciclo pode-se repetir indefinidamente, configurando-se em efetiva imortalidade.

Se as observações feitas em laboratório estiverem corretas, a T. nutricula é o único animal do nosso planeta a alcançar a imortalidade biológica. Tal como a ave da mitologia, ela alcança o auge do seu ciclo de vida e se reproduz para, num passe de mágica celular, retornar à configuração que tinha no início. Compreender direito esse bicho maluco pode ser a chave para determinar de uma vez por todas se o envelhecimento e a morte são inseparáveis da nossa condição de seres vivos complexos ou se eles são o subproduto de processos que podem ser retardados ou evitados por completo.

Um comentário:

Carmem disse...

Que bonito o teu post...
Não sabia disso não!...
certamente quando ouvimos a palavra "fênix" nos lembramos da ave que renasce das cinzas... mas agora podemos lembrar tbm ddesa água viva...

Beijos...

Tem flores nos meus espaços pra ti...