quinta-feira, 8 de outubro de 2009


Hoje vi
Um pássaro voando,
Belo vôo
Amplo na imensidão!
Só!

Parecia igual
a tantos outros que já vi.
Sem rumo,
Sem parada definida,
Sem ninguém para apontar-lhe o caminho.
Voando por sobre as montanhas,
Os rios,
E só.

Se vêm a terra,
ninguém o recepciona.
Se pousa numa árvore,
ninguém o espera.
Se voa ao ar,
ninguém o acompanha.
É um pássaro
Parecido com tantos outros, e só.
O que eu vi
Foi um pássaro só.
De um bando,
Uma família.
E só.

Só o que eu vi
Neste dia,
Foi um pássaro a voar.
Avistei-o
Dentro do espelho
Onde estava eu,
Só.
Josias Souza

2 comentários:

Nanda Assis disse...

lindo poema, vontade de voar tbm feito um pássaro.

bjosss...

Jacarée disse...

Na impossibilidade de me tornar um pássaro flutuo no meu lago dando um salto cai aqui.
Fazendo saltitos e atravessendo o oceano vim deixar burribos de alegria.
Bjs